Desencarceramento veicular: O que é?

Desencarceramento veicular: O que é?

O salvamento ou como conhecido tecnicamente desencarceramento veicular se for feito de forma errada, pode colocar a vida da vítima em risco. Então, se você não conhece o termo, entenda hoje o que é e quem pode realizar. 

Saiba quais são as principais técnicas de desencarceramento veicular para resgate. Além disso, entenda quem você deve acionar durante um acidente.

O que é o desencarceramento veicular?

O desencarceramento é uma forma de resgate veicular de vítimas. Nesse modo, após um acidente, uma ou mais vítimas encontram-se presas em ferragens. Dessa forma ele é feito com um conjunto de técnicas para realizar o resgate.

O resgate veicular é feito para remover a vítima das ferragens do veículo. No entanto, existem muitos pontos que abrangem as suas técnicas de resgate para diferentes situações. Pois alguns veículos são blindados e não permitem cortes. 

Em outros casos, mais de um veículo estará colocando em risco a vida da vítima. No entanto, ambos possuem em comum técnicas de resgate.   

Logo, o procedimento requer cuidados e técnicas para fazer uma execução perfeita. Assim, existem profissionais capacitados para realizar da maneira adequada. 

Os profissionais de emergência utilizam de seu conhecimento de resgate veicular com técnicas de:

  • Resgate a vítimas presas em ferragens de veículos;
  • Maior precisão em cortes para o desencarceramento veicular;
  • Especialização para desencarceramento em veículos blindados;

Quem pode realizar o resgate veicular?

O desencarceramento para resgate veicular é permitido a profissionais socorristas. Ainda sim, esses profissionais devem ser certificados no treinamento para a realização desse tipo de ocorrência. 

Sendo assim, faz-se necessário o conhecimento em técnicas de socorro à vítima, assim como cortes para o desencarceramento veicular. Assim como habilidades para trabalhar veículos blindados. 

A capacitação desses profissionais é feita por cursos de resgate veicular. Além disso, a equipe de resgate é composta por três cargos. 

Portanto, são eles:

  • Segurança;
  • Socorristas;
  • Assistentes gerais;  

Como fazer?

Para reger os cuidados das etapas no desencarceramento para resgate veicular se usa um método. Sendo assim, segue a metodologia de aplicação do SAVER (abordagem sistemática em  resposta a situações de emergência).

Essa abordagem leva em conta 7 fases, sendo:

  • Reconhecimento;
  • Estabilização a partir do controle de riscos;
  • Abertura de acessos;
  • Cuidados pré-hospitalares;
  • Abertura e fazer a gerência do espaço de resgate;
  • Extração da vítima no veículo;
  • Avaliação e treino;

O primeiro passo com a chegada da informação aos socorristas é realizar o reconhecimento de caso, assim é feito no momento que a equipe é acionada. Esse método é um estudo de caso com base nas informações dadas. 

Desse modo, permite que a equipe porte todas as ferramentas necessárias e saiba qual o local correto para agir. Assim, permite também que o chefe de resgate distribua as atividades de cada encarregado antes mesmo de chegar. 

Além da fase de estabilização, requer o controle de todos os pontos instáveis que podem interferir no resgate da vítima. No entanto, deverá seguir o método das 3 principais de acordo com as suas necessidades.

Estabilização do local 

Realizar a análise e trabalho de tudo que está em uma área que possa interferir no resgate. Além disso, de veículos que possam tombar e outros casos. 

Estabilização veicular

Essa etapa requer os cuidados de veículos que estão próximos. Assim como as pessoas curiosas que cercam o local. Sendo assim, é importante que nada externo possa interferir e agravar a situação. 

Estabilização progressiva

Por fim, a terceira requer os cuidados precisos quanto às cargas envolvidas no de  resgate veicular da vítima. Assim, poderá ser feito por equipamentos como extensores, macacos e almofadas amortecedoras. 

Leitura e análise do acidente

Após isso, deve-se realizar a leitura do acidente através de técnicas com base em conceitos físicos. Esses estarão aptos através da busca para encontrar possíveis lesões, essas vão traçar os “mapas” de resgates a ser seguido. 

Para traçar a rota de realização do desencarceramento veicular, o socorrista profissional deve considerar 3 fatores:

  • Fatores acerca da pré colisão / impacto;
  • Fatores sobre a colisão, assim como a cinemática física de atuação de forças durante a colisão veicular; 
  • Considerar o momento de colisão externa;
  • A colisão do ocupante no interior no veículo;
  • Realizar uma análise com base na força de impacto para determinar situações hemorrágicas, fraturas e demais danos;
  • Análise de situação do momento pós-impacto da vítima e dos veículos envolvidos

O mais importante de tudo é considerar graves lesões em qualquer dos estados de pós acidente. Portanto, o resgate deverá ser traçado com cautela.

As técnicas absorvidas durante o curso de desencarceramento veicular faz com que o atendimento seja feito da maneira correta. Sendo assim, após fazer os cortes e remoção da vítima, inicia-se outro passo. 

Abertura de acessos e resgate da vítima

Por fim, nessa etapa, a equipe atua através das técnicas de desencarceramento veicular. Os socorristas abrem os acessos e realizam a retirada da vítima. 

Em seguida, inicia o procedimento de transporte para o hospital onde a responsabilidade é repassada aos médicos.

Itens necessários para o resgate veicular

O resgate veicular requer uma série de itens para a realização da operação da maneira correta. Dentre eles existem os mais típicos que são:

Equipamentos de proteção

Esses incluem a proteção individual (EPIs) dos socorristas, assim como capacetes, vestimentas, luvas e óculos. Além disso, envolve todo o conjunto de (EPCs) sendo os equipamentos de proteção coletiva como fita de isolamento e outros. 

Em segundo lugar, os equipamentos necessários para a realização de corte e acesso. Dentre eles encontram-se:

Tesoura de lâmina curva:

Utilizada e desenvolvida para cortes de veículos. Portanto, exige o conhecimento ideal de manipulação para alcançar bons resultados. Essa ferramenta consegue abrir acessos facilmente para o resgate das vítimas.

Tesoura de lâmina reta:

Diferente da lâmina curva, essa com a sua reta é de operação para cortes mais resistentes. Assim, poderá ser usada para cortar materiais como aço. É uma das ferramentas ideal para o desencarceramento e veículos blindados ou de alta resistência. 

Os demais itens são:

  • extensores;
  • expansores;
  • amortecedores de almofadas;
  • grupos energéticos;
  • almofadas de baixa e alta pressão;
  • guinchos;
  • macaco;
  • ferramentas manuais;
  • machado force. 

Na Resgatécnica você encontra tudo o que precisa para realizar as ações de salvamento. Entre com contato.