Conheça tudo sobre Resgate Terrestre e Combate a Incêndio

O resgate terrestre é uma atividade de salvamento realizada pelos bombeiros, com o objetivo de salvar pessoas, patrimônio e, ainda, animais. Além disso, essa ação ainda pode ser executada tendo como foco a prevenção de acidentes e a recuperação. Depois de entender a definição de resgate terrestre, passaremos a listar os principais tipos.

Você conhece quais são eles? Não? Então, continue conosco, pois temos informações importantes para te apresentar.

Principais tipos de resgate terrestre

É possível afirmar que os principais tipos de salvamento terrestre são:

  1. atendimento a pessoas presas ou retiradas de elevadores;
  2. operações em espaços confinados;
  3. salvamento com escadas;
  4. busca e resgate em estruturas colapsadas;
  5. operações envolvendo árvores;
  6. contenção de animais.

Saiba agora detalhes sobre como eles são realizados.

1. Resgate de pessoas presas ou retiradas de elevadores

O atendimento a pessoas presas ou retiradas de elevadores consiste na ação de distribuir entre os elementos da guarnição as funções, definir como será a operação de resgate e, ainda, definir quais os materiais que serão empregados nessa ação. Com as informações que envolvem toda a operação, será definido como se dará o resgate terrestre, que pode ser apenas a abertura da porta da cabine ou da porta do pavimento; a colocação da cabine no mesmo nível para depois a porta ser aberta e, no final, fazer a retirada das vítimas pela porta de emergência que pode ser lateral, superior ou, ainda, pelo alçapão.

As ocorrências com elevadores que mais acontecem são as que necessitam realizar a retirada de pessoas que ficaram presas na cabine. Nesse caso, se elas não sofrerem com mal súbito, eles estão mais seguras na parte interna do elevador do que do lado de fora.

2. Operações em espaços confinados

Diante dessa situação, o bombeiro precisa contar com capacete, luvas, botas e um cilindro autônomo ou linha de ar. Caso a operação seja em locais onde há água, o indicado é, ainda, usar roupa seca, botas impermeáveis e roupas próprias para águas poluídas. Para que a vítima seja removida, será preciso usar:

  • tripé de salvamento;
  • cordas;
  • fitas tubulares;
  • polias;
  • entre outros itens.

A boa ventilação é imprescindível quando o bombeiro for executar o salvamento, pois será ela que fará com que a condição atmosférica esteja adequada. Afinal, essa ação envolve riscos químicos, físicos, biológicos, ergométricos e outros. Desse modo, o ventilador de pressão positiva é indicado para a ação.

3. Salvamento com escadas e a necessidade de atenção à vítima

salvamento em altura é um resgate terrestre que ocorre quando a vítima está em um ponto de difícil acesso ou saída. Nesse caso, poderá ser necessário fazer o uso de três tipos diferentes de escadas que são: a escada rebatida, a escada com ponto de apoio e a escada com prancha deslizante. Independentemente do tipo de escada a ser usada no salvamento, é fundamental que, ao pegar a vítima, a mesma seja estabilizada e colocada na prancha de forma fixa, pois assim estará em segurança.

4. Busca e resgate em estruturas colapsadas

Essa é uma operação de resgate classificada como perigosa, porque os profissionais que estão em ação não conseguem ter controle sobre o evento sísmico ou, ainda, sobre a ação que resultou no colapso da estrutura na qual eles estão trabalhando, porque a edificação teve suas estruturais principais destruídas de forma parcial ou total. Em casos de situações leves, será preciso recorrer ao uso de ferramentas manuais e equipamentos para dar apoio a ação, já em ocorrências em que há vítimas presas além de equipamentos, ferramentas será preciso usar acessórios hidráulicos, elétricos e pneumáticos e em situações classificadas como pesadas, será necessário usar máquinas.

5. Operação que envolve árvores

Um outro tipo de resgate terrestre é o chamado de arborismo. Nessa ação, são usadas:

  • motosserra;
  • cordas;
  • mosquetões;
  • cunhas;
  • facão;
  • machado;
  • foice;
  • tifor;
  • entre outros.

O bombeiro precisará de:

  • capacete de salvamento;
  • luvas de vaqueta;
  • óculos de proteção;
  • cinto de resgate ou de segurança;
  • protetor auricular.

Em caso de corte, o bombeiro fará uma avaliação do formato da copa, o clima, o tipo de engalhamento, as raízes e a presença ou ausência de ventos para que a operação transcorra de modo estável.

6. Contenção de animais

A contenção de animais precisa ser executada de forma a garantir o bem estar do animal, do profissional e, ainda, sem agredir o meio ambiente. Para isso, o bombeiro deverá se valer de técnicas e ferramentas adequadas. No entanto, os métodos empregados vão variar conforme o tipo de animal e a situação que o mesmo se encontra.

Quando é preciso fazer o resgate de animais, o bombeiro deve apostar em equipamentos de proteção individual como:

  • óculos;
  • capacete;
  • botas;
  • luvas;
  • gandola estendida.

Principais tipos de combate a incêndio

Dentre os principais tipos de combate a incêndios, é possível citar:

  1. combate a incêndio estrutural;
  2. combate a incêndio florestal.

Entender as características de cada um e as soluções EPI necessárias são as melhores maneiras de atuar, de forma segura, diante das ocorrências. Conheça mais sobre cada um deles, abaixo.

1. Combate a incêndio estrutural

O combate a incêndio estrutural objetiva minimizar o risco à vida e ao patrimônio. O foco principal do combate a incêndio estrutural está em minimizar o risco à vida e, ainda, tentar diminuir a perda patrimonial na estrutura que foi atingida pelo fogo. Por esse motivo, será preciso atuar de forma planejada, organizada, com direção e controle.

capacete Fire Compact é ideal para o combate a esse tipo de incêndio, porque foi fabricado com materiais de qualidade e de alto nível de proteção. A balaclava também é fundamental, pois ela é o capuz responsável por manter a face, a cabeça e o pescoço do bombeiro protegido contra o calor irradiado e a chama.

2. Combate a incêndio florestal

O incêndio florestal precisa ser contido de forma rápida. Porém, infelizmente, quando um incêndio florestal acontece, as consequências dele durarão por muitos anos, porque a recuperação da flora e da fauna acontecerão de forma lenta. Assim, a melhor maneira para impedir essa ação é que esses ambientes sejam monitorados sempre, pois as temperaturas estão cada vez mais altas e os criminosos também não estão muito preocupados com o meio ambiente.

No entanto, quando essas situações acontecem, os bombeiros precisam entrar em ação e necessitam fazer uso dos equipamentos adequados para a manutenção da vida deles. Por isso, o capacete para combate a incêndio é indispensável. Afinal, esse equipamento é capaz de evitar que o profissional sofra com a queda de galhos e outras situações perigosas. A bomba portátil também não pode faltar. Por meio dela, a água será levada a locais onde o acesso é mais difícil. Ainda, é preciso recorrer ao abafador de incêndio, pois esse equipamento ajuda a extinguir as chamas quando elas aparecem em vegetações rasteiras.

Neste artigo, falamos um pouco sobre os principais tipos de resgate terrestre e tipos de incêndio, bem como sobre quais equipamentos usar diante dessas ocorrências. Tal conhecimento é fundamental, pois ele assegura que o bombeiro atue de forma mais eficiente e use as soluções em EPI corretas.

Para saber mais sobre os temas relacionados, que tal seguir o nosso FacebookInstagram? Acompanhe-nos agora e fique por dentro das novidades!