Entenda a diferença entre EPI x EPC

Entenda a diferença entre EPI x EPC

Os EPI x EPC são de grande importância para qualquer ambiente de trabalho. Afinal, eles conseguem proteger tanto o profissional, quanto o local inserido. 

Um espaço de trabalho com segurança é essencial em qualquer campo de operação. Por isso, é fundamental o foco da cultura de segurança do trabalho. Para conseguir isto, variadas medidas de proteção precisam ser tomadas, dentre elas está a escolha de EPI x EPC.

Ou seja, Equipamentos de Proteção Individual chamada e Equipamentos de Proteção Coletiva.

Em todo o Brasil, acidentes de trabalho são recorrentes e atingem milhares dos trabalhadores todos os anos, provocando afastamento e por esta causa prejuízo financeiros e de produção dos empregados.

Além disso, a saúde dos empregados é comprometida, inclusive nos hospitais. Não é por acaso que os EPI x EPC possuem conceitos no hospital, que determinam a presença desse recurso. Por esta causa evitar qualquer risco é primordial.   

Na questão da prevenção de acidentes, eles são extremamente eficazes e significativos no controle e de um espaço de trabalho com segurança.

São equipamentos desenvolvidos com a finalidade de proteger a saúde e proporcionar a segurança do operário. No entanto, são utilizados e apresentados para diversas circunstâncias nos espaços industriais.  

O que é o EPC?

A sigla EPC significa Equipamento de Proteção Coletiva como o próprio nome já se pronuncia é um projeto de segurança coletiva.  Ele é utilizado para diminuir ou aniquilar o risco presentes no espaço de trabalho que foram antecipadamente identificados no decorrer do PPRA conjuntamente, assegurando vários colaboradores simultaneamente. 

Os EPCs são extremamente importantes e eficazes em variadas situações. Dependendo do perigo que o trabalhador está exposto, precisará ser inserido para executar a prevenção ou diminuição da exposição, como, por exemplo, agente químico, físicos, biológicos, etc., no entanto, preferivelmente antes da utilização do EPI. Alguns exemplos são:

  • Kit de primeiros socorros;
  • Sinalizações de segurança: cones, cavaletes, cones, sinalização de saída de emergência, placas de aviso, etc;
  • Extintores, mangueiras e hidrantes;
  • Capela Química;
  • Corrimãos, puxadores e redes de proteção, guarda corpos;
  • Isolação acústica;
  • Lava-Olhos, chuveiros de emergência, etc;
  • Exaustores, sistemas de ventilação e controle de temperatura;

O que é EPI? 

A sigla significa Equipamento de Proteção Individual é o equipamento que protege o operário diretamente, evitando também os perigos apresentados no espaço. Contudo, individualmente, são usados quando os EPC não proporcionam a proteção total à integridade e saúde do operário. 

A utilização do EPI é prevista pela NR 06. Com base nela, as empresas são sujeitas a disponibilizar gratuitamente os equipamentos aos operários, em perfeito estado de preservação, além de serem encarregados pela manutenção e higienização. Alguns exemplos são: 

  • Do tronco: coletes e aventais;
  • Auditiva: protetores auriculares, abafadores auditivos, etc;
  • Dos pés e das pernas: sapatos, botas e coturnos também variando conforme os riscos contra os quais se quer proteger;
  • Na cabeça: capacetes, etc.;
  • Ocular e facial: óculos, viseiras e máscaras;
  • Das mãos e dos braços: luvas, braçadeiras e mangotes, variando segundo os riscos contra os quais se quer proteger;
  • Contra quedas: cintos de segurança e sistemas anti-quedas; 
  • Respiratória: máscaras filtrantes próprias para gases e aerossóis, respiradores faciais e semifaciais, etc;

Onde podem ser usados EPI e EPC?

No decorrer das inspeções e o PPRA, o grupo do SESMT irá identificar todos os perigos que o espaço de trabalho de que se trata possa fornecer.

Após os perigos terem sido encontrados, convém ao profissional encarregado de segurança do trabalho, apontar as medidas de prevenção apropriadas com base nos riscos identificados. 

Habitualmente, a medida inicial a ser tomada é a utilização de Equipamentos de Proteção Coletiva no intuito de proteger ao máximo de operários possíveis, como, por exemplo, produzir guarda corpos nos arredores de edifícios em construção para evitar queda. 

Como previsto pela NR 06, a utilização de EPIS tem de ser aceita em todas as circunstâncias que a medida de proteção coletiva (EPC) não proporciona a inteira proteção contra os perigos para o operário.

Um exemplo é que no edifício em construção, além de risco a queda do operário, há o risco de queda de materiais que podem atingir os mesmos. Por esta causa a utilização de capacetes deve ser admitida. 

Em variadas situações, os dois equipamentos são aplicados em conjuntos para permitir maior proteção possível aos operários, evitando dificuldades no caso de doenças ocupacionais e acidentes de trabalho.  

Afinal, qual a diferença entre EPI e EPC?

Diferenciando EPI x EPC, o que deve ser considerado, sobretudo, é tudo que diz respeito aos termos. Ou seja, EPI X EPC, têm conceitos que se referem às ideias individuais e conjuntas.

Dessa forma, o equipamento individual é aquele usado por uma determinada pessoa, em simultâneo, em que o coletivo em sua grande maioria se incorpora à base do espaço do trabalho.

Isso quer dizer que cada ópera faz a utilização dos próprios equipamentos de proteção individual (EPI).

Como exemplo, é bastante recorrente o uso do protetor auditivo ou auricular para diminuir a intensidade de ruídos presentes em determinados ambientes de trabalho. Em situações onde essa exposição resulta em perda auditiva, a escolha de aparelhos auditivos adequados pode ser fundamental para manter a qualidade de audição. 

Visto que o equipamento de proteção coletiva (EPC) pode ser inserido no ambiente de trabalho para a proteção de todos em certo momentos fazendo parte da infraestrutura do espaço.

Desta forma, um corrimão para evitar quedas ou um ventilador para possibilitar uma entrada de ar atende o geral no espaço onde estão localizados. 

Consequentemente, para finalizar as ideias sobre qual é a diferença entre EPI x EPC. O EPC pode ser inserido no espaço de trabalho. Além disso, não necessita de decisão ou antecipação do colaborador.

Isso porque seu efeito de proteção se sobressai no espaço do trabalho, tornando-o mais seguro para os operários. 

Agora que você já conhece as diferenças entre EPI x EPC, provavelmente já entendeu a importância das medidas de prevenção, certo?

Contudo, não é somente isso necessário para a prevenção e a garantia de segurança no trabalho.

Por isso, não deixe de acompanhar o blog da Resgatécnica para continuar se informando sobre os procedimentos, equipamentos e tudo que envolve o mundo da segurança e resgate. Até a próxima!